RSS

O toque do Shofar

sábado, 20/06/2009 2:48 am  

Apesar da modernização, um dos instrumentos de sopro mais usado pelo homem, o Shofar, continua sendo muito utilizado, tanto na Igreja, como em Jerusalém.

O Shofar é feito de chifre de animais considerados puros, denominados Casher. Eles estão relacionados no livro de Deuteronômio 14:3 em diante. O chifre de boi é a única exceção, apesar de ser encontrado na lista dos animais puros, o seu chifre não é utilizado. A exceção se deve ao fato ocorrido no deserto, quando Moisés subiu ao monte para receber as tábuas da lei. Como Moisés demorou para descer o povo impaciente pediu a Arão criasse um deus para que eles o adorassem. Um bezerro foi a figura desse falso deus. Podemos encontrar esse relato no livro de Êxodo, capítulo 32 em diante.

Normalmente, se usa chifre de Carneiro, para lembrar a passagem de Abraão e Isaque, seu filho. Como Abraão não podia ter filhos, pois já era avançado em idade, Deus lhe prometeu Isaque, concebendo-o através de um milagre. Após alguns anos o Senhor provou a fé de Abraão requerendo seu filho. No momento de sacrificá-lo Deus interveio, impedindo-o, no instante exato do sacrifício. Ao olhar para trás Abraão viu um carneiro preso pelo chifre entre os arbustos e assim ele ofereceu esse carneiro em lugar de Isaque, Gênesis 22:1 em diante. Essa passagem nos trás uma significação muito especial. Além do chifre de carneiro, o chifre de antílope também é utilizado.

O Shofar precisa ser curvo, simbolizando que devemos nos humilhar perante o senhor. Não há qualquer tipo de ornamento interno. Os ornamentos poderão ser colocados na parte externa, desde que não haja perfuração em sua parede. Como ele representa humildade, não deve ter adornos de ouro, nem de prata e o seu interior deve permanecer intacto.

Muitas vezes ficamos ocupados com o nosso cotidiano e ficamos indiferentes aos verdadeiros objetivos de nossa vida.

Ao ouvir o chamado do Shofar nos despertamos. Somos levados ao arrependimento. O toque do Shofar nos faz lembrar que nunca é tarde para recomeçar.

O som do Shofar é uma prece sem palavras, e um alerta à igreja para lembrar que o dia do julgamento celestial está próximo. O som diz: “Voltai-vos para Deus, arrependei-vos. Olhai para dentro de vós, abandonai os caminhos errados e os maus pensamentos. Voltai-vos para Deus, para que Ele tenha misericórdia de vós através de Seu cordeiro. Jesus Cristo.” (Yeshua Há Mashiach)

Há vários momentos na bíblia em que o Shofar é mencionado. Infelizmente, em algumas traduções encontramos “trombetas” e “buzinas”. A trombeta é um instrumento totalmente diferente, feita de prata ou de cobre, é chamada de Chatsitserot em Hebraico. Tem um cúbito de comprimento, a parte de cima é estreita e vai ampliando progressivamente até o fim. É mencionada pela primeira vez na bíblia em Números 10:2. O uso de trombetas foi ordenado por Moisés. Contudo, Josué e Gideão não fizeram uso de trombetas e sim, de Shofar.

A menção do Shofar aparece pela primeira vez em Êxodo 19:13, no evento onde o Eterno Deus desceu ao Monte Sinai. Ele desceu ao monte com trovões e relâmpagos, uma nuvem espessa estava sobre o Monte Sinai e o som de Shofar muito forte estremeceu todo o acampamento.

Diz os estudiosos da bíblia que nesse momento o monte saiu do chão e ficou levitando, e ele fumegou. Uma fumaça subiu como fumo de fornalha e o monte tremia. O som do Shofar ia se propagando e crescendo em volume. Moisés falava e Deus respondia pelo som do Shofar. Até que Deus chama Moisés e Arão ao monte, e nesse momento, dá ao povo Judeu os 10 mandamento. Por causa desse evento, todas as vezes que um judeu ouve o som do Shofar lembra-se da Voz do Eterno.

Outro evento onde o Shofar foi usado, está em Josué 6. Josué obedecendo a Deus, juntamente com o seu povo, circulou a muralha de Jericó, uma vez ao dia e no sétimo dia rodeou sete vezes ao toque de Tekiyá (primeiro toque do Shofar) e ao frito dos soldados, as muralhas caíram.

Um terceiro evento que não posso deixar de mencionar está na passagem encontrada em Juízes 7:16-22. Gideão depois de fazer algumas provas com Deus, reuniu cerca de 32 mil homens para guerrear. Porém o Senhor mandou primeiramente os medrosos de volta, que eram cerca de 22 mil homens, e depois fez um teste com aqueles que ficaram. Gideão mandou que os 10 mil que restaram descerem às águas para beber. Aqueles que lamberam as águas como cão, foram dispensados. Restaram então, 300 homens. Esse foi o exército com o qual Gideão rodeou o acampamento dos Midianitas, com um Shofar e um cântaro e gritaram: “Espada pelo Senhor e por Gideão!” Nesse momento Deus fez com que a espada do inimigo se voltasse uma contra a outra e deu a vitória a Gideão. Com isso o povo de Deus se viu livre dos Midianitas.

Ainda hoje, o senhor nos convoca a tocar o Shofar e tem levantado no mundo todos os tocadores (B’all Tokêa), como um ato profético, não só para o povo Judeu, mas para toda a igreja.


Existem três toques que tem os seguintes significados:

1) TEKIYÁ = Levantar = Oração (1º Pilar)

É um som contínuo, como um longo suspiro. Simboliza o amor de Deus por nós. Anuncia-nos Deus como Rei do Universo. É um som que nos leva a levantar e orar, buscando a presença Dele. Quando os judeus estavam no deserto, no momento desse toque, levantavam seu acampamento.

2) SHEVARIM = Queimar = Adoração (2º Pilar)

São três sons interrompidos, como soluços. Esse som nos conecta a Deus através de gritos soluçantes de um coração desejoso e humildade reconhecendo-O como soberano e único Deus. Nesse momento, no deserto, o povo pegava todo o lixo e colocava no meio do arraial para ser queimado. Para que o inimigo não pudesse usar o lixo, como arma contra o povo de Deus.  É o momento em que o Senhor nos vê através de Jesus (Yeshua). Devemos nesse momento agradecer ao Senhor por Seu Filho que através do Seu sangue queima todo o nosso pecado.

3) TERUÁ = Marchar = Pregação (3º Pilar)

Composto por nove ou mais toques curtíssimos, como suspiros entrecortados em meio ao pranto, a nos despertar de nosso sono espiritual, nos fazendo lembrar que devemos levar a Palavra de Deus a todos aqueles que ainda não O conhecem. Nesse momento, no deserto, o povo de Deus marchava. A igreja não pode fica parada.tem que marchar, pois como o Senhor Yeshua mesmo disse: “Eu sou o caminho…” Nunca devemos ficar parados em um caminho, ele foi feito para andarmos. E por que não dizer, marchamos em direção às pessoas com a Palavra da Verdade?

Esse toque também era utilizado para intimidar o inimigo, anunciando a vitória. Dizem os estudiosos da bíblia que nesse toque o Senhor se levanta do trono de Justiça e se assenta no trono da Misericódia.


É importante que a igreja conheça o som do Shofar. Em 1 Coríntios 14:8 o apóstolo Paulo disse: “Pois também se o Shofar der um som incerto, quem se preparará para a batalha?” Outra referência para a igreja está em 1 Coríntios 15:51-55 que diz: “Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar do ÚLTIMO SHOFAR. O Shofar soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.” Outra referência está em 1 Tessalonicenses 4:16-17 que diz: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.”

Haverá um dia Igreja, que o som de Tekiyá ecoará pelos céus, e acontecerá o momento tão esperado por todos. Seremos arrebatados e ficaremos eternamente ao lado do Senhor. Aleluia!

Igreja, não se intimide! Toque o Shofar como ato profético em seus eventos, em suas manifestações na igreja, mostrando a todos que o nosso dia está próximo.


Maranata, ora vem Senhor Yeshua!


Por: Antonio Carlos Alberto Ferreira

Líder do Ministério Brit –  Uma Aliança com Deus

,

Este post foi escrito por:

- que escreveu 1125 post(s).


Entre em contato